Desejado por Sampaoli e cruel na lei do ex: veja a história de Ricardo Oliveira em Atlético-MG e Santos

  • Por Sirlei Alves
  • 15/05/2019 às 15:53
  • Nacional

O grande personagem do jogo entre Atlético-MG e Santos, nesta quarta-feira, às 19h15 (de Brasília), no Independência, válido pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil, é Ricardo Oliveira.

Afinal, Ricardo Oliveira foi o responsável por ligar Atlético-MG e Santos neste ano, mesmo sem as equipes sequer terem se enfrentado. Isso porque o centroavante do Galo virou a principal obsessão do técnico Jorge Sampaoli, que fez força para o Peixe, carente de um camisa 9, o recontratasse.

O jogo entre Atlético-MG e Santos terá transmissão ao vivo do SporTV para todo o Brasil, menos para o estado de MG (que poderá acompanhar pelo Premiere), com narração de Luis Roberto e comentários de Ledio Carmona e Ricardinho. O GloboEsporte.com acompanha o jogo em tempo real, com vídeos dos lances, e faz uma "live" depois do jogo, com entrevistas e análises de jogadores e treinadores.

Ricardo Oliveira deixou o Santos no fim de 2017, depois de três anos sendo um dos destaques do time da Vila Belmiro. O Peixe, que havia acabado de trocar de diretoria, não conseguiu chegar a um acordo para segurá-lo por conta do tempo de contrato (o atleta queria mais dois anos e o clube havia oferecido apenas um) e o perdeu para o Atlético-MG.

Líder, referência e goleador como sempre

Se era um dos líderes do elenco do Santos à época, Ricardo Oliveira manteve este status no Atlético-MG. Experiente, o atacante de 39 anos é uma das principais referências técnicas do plantel do Galo, assim como era no Peixe.

Respeitado internamente e um dos nomes mais fortes do vestiário, da mesma forma que ocorria no Santos, Ricardo Oliveira encontrou no Atlético-MG um clube que o acolheu e deu a ele todo o crédito que merecia mesmo com pouco tempo de casa.

Considerado um dos melhores camisas 9 do futebol brasileiro, Ricardo Oliveira não demorou a se adaptar e jamais perdeu seu faro artilheiro. No Galo, nesta temporada, tem 13 gols em 21 jogos.

De 2015 a 2017, quando defendeu o Santos, Ricardo Oliveira teve passagem vitoriosa e, claro, goleadora: foram 71 gols em 140 jogos, além de dois títulos paulistas conquistados.

Lei do ex?

Desde que saiu do Santos, Ricardo Oliveira já enfrentou o ex-clube em duas oportunidades, ambas válidas pelo Campeonato Brasileiro no ano passado. E não perdoou o Peixe.

Pelo contrário, fez valer a famosa "Lei do Ex" duplamente nas duas partidas. No primeiro encontro, fez dois gols na vitória do Galo por 3 a 1, no mesmo Independência que recebe o confronto decisivo entre as equipes nesta quarta-feira.

No jogo válido pelo segundo turno, o Santos levou a melhor, mas o Pastor balançou as redes da Vila Belmiro, onde já marcou tantos gols, também em duas oportunidades.

Será que a história se repete nesta quarta-feira? Ricardo Oliveira será titular do técnico Rodrigo Santana e é a principal arma do Galo diante do Santos.

Sem o Pastor, Santos segue à caça de um 9

Desde que Ricardo Oliveira se despediu, o Santos busca um homem de referência para o ataque. Em 2018, Gabigol assumiu a responsabilidade, mas por vezes afirmou que não era um centroavante. Nesta temporada, porém, Sampaoli fez inúmeros testes, com meio-campistas como falso 9, antes de dar uma sequência para Eduardo Sasha na posição.

Sampaoli, inclusive, nunca escondeu sua vontade de comandar Ricardo Oliveira no Santos. O Peixe tentou fazer com que o centroavante voltasse, mas o Atlético-MG brecou sua saída, que neste momento é muito improvável de acontecer – apesar de a diretoria santista ainda não ter jogado a toalha definitivamente.

A fim de fazer com que a negociação caminhasse em favor do Santos, Sampaoli manteve contato com Ricardo Oliveira, que, apesar de estar satisfeito em Belo Horizonte, não era contrário a um retorno ao Peixe.

– A diretoria sabe quais são meus pedidos. A possibilidade que venha Ricardo (Oliveira)... É uma possibilidade que nós falamos, é um jogador que estava no Santos e que nos daria muita experiência e capacidade. O presidente tem que tomar a decisão. Eu tenho clara as nossas necessidades – afirmou Sampaoli, em entrevista no início do mês passado.

Prováveis escalações

O provável Atlético-MG para enfrentar o Santos deve ter: Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison; Geuvânio, Elias, Luan e Chará; Ricardo Oliveira.

Já o Santos deve ir a campo com: Everson; Lucas Veríssimo (Jean Lucas), Felipe Aguilar e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Diego Pituca, Carlos Sánchez e Jorge; Rodrygo, Eduardo Sasha (Jean Mota) e Soteldo.

O jogo de volta entre Santos e Atlético-MG está marcado para o dia 6 de junho, no Pacaembu. Vale lembrar que a Copa do Brasil não tem gol qualificado como regra de desempate.