Final ente Cuiabá e Operário-VG dá prejuízo; Média do União foi superior em 80% dos seus jogos

  • Por Gilbert Regis/FutebolMT
  • 23/04/2019 às 22:16
  • FutebolMT

A Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) divulgou em seu site oficial o Boletim Financeiro, o popular borderô, da decisão entre Cuiabá e Operário-VG, neste domingo, e o resultado foi desastroso.

O Cuiabá até que tentou oferecer atrativos para o torcedor cuiabano ir a Arena Pantanal, comercializando camarote open bar, ingressos a R$ 5 e até cortesias com mulheres e crianças não pagando ingressos, porém sem sucesso.

O documento, assinado por representantes dos dois clubes envolvidos, discrimina uma série de informações relacionadas ao dinheiro gerado pelo jogo. A arrecadação total chegou a R$ 20.360,00, mais as despesas superaram em quase 60% ao valor arrecadado.

Com apenas 1570 pagantes, a final diante do Operário-VG resultou num prejuízo de R$ 14.258,52 mil para o Dourado.

As deduções foram divididas em arbitragem, despesas administrativas e operacionais, descontos previdenciários e taxas de seguro.

As despesas administrativas que incluem aluguel de campo (R$ 407,20); ambulância e equipe médica (R$ 1.800,00); confecção de ingressos (R$ 1.719,50); controle de acesso (R$ 4.790,00); seguranças – 56 pessoas (R$ 8.400,00); aluguel bilheteria (R$ 150) ; lanche para PM (R$ 250); lavagem uniforme (R$ 10) e despesas de marketing e promoção do jogo (R$ 5.400,00); foram as mais relevantes, totalizando R$ 22.926,70.

As despesas operacionais, que inclui taxas fixas e alugueis de estrutura, geraram uma despesa de R$ 8.404,25. As menores despesas foram os descontos previdenciários e taxas de seguro, que somados dão R$ 3.287,57.

Como mandante, o Cuiabá faturou R$ 20.360,00; gastou R$ 34.618,52 e arcou com um prejuízo de R$ 14.258,52.

Para efeito de comparação, o União só não teve público e renda superior as duas finais em apenas 2 jogo no Estadual.