Lyon entra na justiça contra término do Campeonato Francês

Foto: AFP

Foto: AFP

O Campeonato Francês teve um fim oficial na última semana, mas se depender de Jean-Michel Aulas, presidente do Lyon, o torneio está longe de acabar. Sempre contrário ao fim da Ligue 1 antes de disputadas as 38 rodadas da competição, Aulas revelou no programa "L' Équipe d'Estelle" que o clube entrou com duas ações no Tribunal Administrativo de Paris para reverter a decisão.

- Hesitamos muito antes de tomar esta decisão. O conselho de administração do clube entrou com os recursos. O dinheiro não é a principal preocupação.

"Não é (uma questão) sobre os milhões de euros, mas sim sobre várias decisões de interesse público."

O dirigente não vê um fundamento legal na decisão da ministra dos esportes, Roxana Maracineanu, de proibir esportes coletivos até agosto no país, já que essa data, segundo ele, não está em conformidade com a Uefa.

- A decisão da ministra do esporte se baseia na data de 3 de agosto, que não existe na UEFA. Podemos examinar em detalhes com o primeiro ministro (Édouard Philippe) e o ministro da saúde (Olivier Véran) o protocolo de saúde dos outros países europeus e ver se há uma possibilidade de retomada.

O outro recurso alega que o método usado pela Liga para estabelecer a classificação final do campeonato não foi esportivamente justo. Na ocasião, o número de pontos das equipes foi divido pelo número de jogos, formando um coeficiente a partir do qual a ordem dos times foi estabelecida. No entanto, todas as equipes tinham disputado 28 partidas, à exceção do PSG e Strasbourg, com 27.

O Lyon terminou a competição na sétima colocação, fora dos torneios europeus pela primeira vez desde 1997. No entanto, Aulas rechaçou que as ações judiciais têm como objetivo levar vantagem e conseguir vagas em competições europeias.