Maradona se emociona, pula e canta na apresentação como técnico do Gimnasia y Esgrima

O maior ídolo da história do futebol argentino voltou para casa. Neste domingo, Maradona foi apresentado como novo técnico do Gimnasia y Esgrima diante da torcida antes de treino aberto no estádio Juan Carmelo Zerillo. Com dificuldades para andar por causa da recente operação no joelho direito, no fim de julho passado, o ex-jogador de 58 anos pegou carona no carrinho de atendimento médico até o centro do gramado, de onde comandou a festa.

Revelado no Argentino Juniors, com passagens pelo Newell's Old Boys e Boca Juniors, seu time do coração, Maradona ficou muito emocionado. Deu pequenos pulos no ritmo dos gritos dos fãs e chegou até a cantar no microfone em que fez um breve discurso, interrompido pela empolgação e versos da hinchada. Quatro torcedores chegaram a invadir o campo, e um deles o beijou no rosto e ajoelhou a sua frente.

Empolgados com a chegada de Maradona, os torcedores do Gimnasia criaram uma música em que fazem referência a Verón, ex-jogador e atual presidente do Estudiantes, rival da cidade de La Plata. Com termos que fazem referência ao apelido La Bruja, do ídolo oponente, e a sua passagem pelo futebol inglês, no Manchester United e Chelsea.

"Pincha, decime qué se siente (torcedor, me diz o que sente)

tener al Diego en la ciudad (ter Diego na cidade)

con la casaca azul y blanca (com a camisa azul e branca)

la Bruja se quiere re matar. (La Bruja quer se matar)

Porque vos sos un cagón (Porque você é um medroso)

te vendiste por traidor (se vendeu como traidor)

no me olvido lo que pasó en 2002. (não me esqueço o que aconteceu em 2002)

Al Diego lo vas a ver (ao Diego vai ver)

en el Bosque otra vez (no Bosque outra vez)

Maradona es más grande que el inglés" (Maradona é maior que o inglês)

O fornecedor de material esportivo do Gimnasia criou uma camisa personalizada em homenagem a Maradona. Com o 10 nas costas, o uniforme de modelo antigo ainda, das temporadas 2017 e 2018, passou a ser vendido por preços que vão de $ 1500 (cerca de R$ 110) a $ 3 mil ( R$ 220).

Maradona tem um grande desafio pela frente. Há nove anos sem comandar equipes em seu país, assume o Gimnasia na lanterna do Campeonato Argentino, com apenas um ponto nas cinco primeiras rodadas.

Maradona começou como treinador no modesto Mandiyú de Corrientes, em 1994. Na temporada seguinte, assumiu o Racing de Avellaneda, antes mesmo de encerrar a carreira como jogador. Depois, parou e só voltou à função em 2008, quando passou a dirigir a seleção da Argentina, até a Copa de 2010, quando foi eliminado nas quartas de final diante da Alemanha, em goleada por 4 a 0.

Desde então, o ídolo não voltou mais o país natal para trabalhar como técnico de times profissionais. Comandou o Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos, entre 2011 e 2012, depois passou pelo Fujairah, em 2017, até assumir o Dorados de Sinaloa, da segunda divisão mexicana, seu último clube. Saiu do cargo há três meses, alegando problemas de saúde.